2 de mai de 2015

Espiral

Espiral:

Adaptar-se à situação.
Na dificuldade de adaptação, compreender os medos básicos e as defesas que prejudicam essa tarefa, assim como prejudicam a leitura da realidade, e, por consequência, prejudicando a se ter um modo de existir verdadeiro - surgindo o não ser espontâneo. Compreendendo, abordar, elaborar e superar esse medos básicos e essas defesas (que se manifestam em neuroses, psicoses, perversões, etc.), a partir de táticas e estratégias quanto ao manejo situacional da vida do indivíduo. Superando, o sujeito está modificado.Modificado, o sujeito modifica a situação, em seu retorno.Dessa forma, surge uma nova situação.
E novamente, é preciso elaborar a situação e si mesmo, renovar-se, experienciar-se, modificar-se - modificando a situação, modificando a si mesmo, novamente a situação...

"Mas, desde que nos lembremos que dizer é renovar, definiremos sem dificuldade uma espiral: é um círculo que sobe sem nunca conseguir acabar-se. A maioria da gente, sei bem, não ousaria definir assim, porque supõe que definir é dizer o que os outros querem que se diga, que não o que é preciso dizer para definir. Direi melhor: uma espiral é um circulo virtual que se desdobra a subir sem nunca se realizar: Mas não, a definição ainda é abstracta. Buscarei o concreto, e tudo será visto: uma espiral é uma cobra sem cobra enroscada verticalmente em coisa nenhuma." (Fernando Pessoa)


Diante da nova situação o sujeito precisa se adaptar - com todos os seus medos básicos e defesas que emergem no contato com o novo e desconhecido.
Espiral. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário