1 de dez de 2013

Rima Rica, Frase Feita

Me encanta as vistas de cada janela, que nunca se repetem, em que sempre nos perdemos. E apavoram.

E o cigarro na janela antes da entrega... 

E o cigarro exausto na janela. 
A lembrança dos horrores, das marcas na pele, do gosto esquecido, do cheiro que nunca, nunca, nunca deixa de estar ali.

O cigarro amassado. O novo toque. Os novos olhares que invadem, invadem e intencionam e apavoram e salvam ao destruir. Os novos olhares...


mas sempre os olhos anteriores. Fixados. O toque. Nunca se repetiam, nem olhos, nem toques. Nem gemidos, nem suor. 
A morte nunca se repetia. A perdição. O escuro. A estupidez. 

E o cigarro era a cabeça naqueles olhos e sorrisos e aquela carne quente e escura anterior. 
Carne nua em outro. Carne nua de outro. Mas a cabeça se fixava na carne anterior. E nos olhos, sorrisos, palavras e gestos que nunca se repetiam. 

Era saudade. Mais pura falta. 


Mas o cigarro se apaga, outra vista de outra janela precisa ser descoberta. 
...outra carne há de ser tocada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário