17 de ago de 2013

Summer '68

Não se pode negar a saudade que se sente de alguém que deixou tantas marcas em nossa vida. Certo, todos que cruzam por nós nos modificam um pouco. Mas sempre há aqueles que de uma forma ou de outra causam um dano maior.

Eu juro, aquele cheiro que eu reconheceria de longe que vai mas fica de alguma forma, aquele cheiro... eu juro.

Que vai...

E é preciso ficar sozinho.
Não adianta.
É preciso.

Mas em algum verão de outro ano passado havia sorrisos em amanheceres que davam significância à vida.
Em algum verão que eu nem me lembro mais.

E como você se sente hoje?

Nenhum comentário:

Postar um comentário