24 de out de 2012

Solução

Ignorar a política, recusar panfletos, desejar o fim das eleições para não ter mais que aguentar as propostas dos candidatos pelo ar, enfim, fugir da informação não faz de você "diferente dos outros brasileiros". 
Votar nulo é um grande e triste desperdício de sua capacidade crítica, e não fará qualquer diferença, pois, diferente do que muitos dizem, não é a solução. 

Política não precisa ser a "pior a coisa do mundo", e assume significado bem mais tolerável quando se percebe a sua importância social - e, dentro disso, individual, o que seria assunto pra outro momento.

E a solução? Qual é a solução que o país tão encarecidamente precisa para transformar-se naquele que almejamos, progredindo igualitariamente? 
Envolver-se, eis a solução. Envolver-se ou, ao menos, informar-se. 

Ao perceber que o mundo político não é um universo alheio ao que lhe seria subjetivo e pessoal, e que sendo passivos, seremos igualmente ativos, porém, consolidando ideais opostos aos que julgamos corretos, teremos uma chance de transformar-nos, transformando a estrutura da sociedade.

18 de out de 2012

Stay

     Meia-noite. Todos brilhavam. Pura e essencialmente amor.
     Ela podia compreender a vida que havia dentro de cada um deles. Necessidades e dificuldades. Unicidade com algo em comum: olhos vivos.
    
    Amor deve ser isso, então - não saber do que se trata. Amar o outro como se ama a própria vida. Deixar queimar. Não definir. Não sentir medo. Não se limitar. Sentir a vida do outro dentro si próprio... e o milagre que há nisso.

    Ela agradecia, intensamente, por ter descoberto o caminho além da solidão. O caminho que se faz fazendo parte de um todo. Em que não sabe onde se termina o si próprio e onde começa o meio. O caminho em que se é o mundo inteiro. E era por causa deles... que estavam ali, ajudando-a a compreender e a terminar bem o dia.

     Aquelas pessoas lhe ensinaram sobre a vida, sobre o amor, sobre si mesma mais do que qualquer livro. Mais do que qualquer noite solitária. 

     Eram ouro e queimavam.

9 de out de 2012

O que há de mais secreto

Vou te contar um segredo, o Brasil não é um país laico; racismo, machismo e homofobia existem e são fortes; o vestibular não serve para selecionar o mais capaz porque não existe o mais capaz; o argumento de que as ações afirmativas (cotas) apenas servem para aumentar o preconceito e a segregação da sociedade é a coisa mais ingênua que já ouvi; melhorar o educação pública básica não tem nada a ver com preparação para o vestibular; essa igualdade "ferida pelas cotas" da qual tanto falam é uma grande farsa; dizer que todos têm condições iguais para competir em uma seleção elitizada é uma ilusão imbecil...
...e, o que há de mais secreto: o diferente existe. Outras cores, credos, tamanhos, posturas, opiniões, olhares e sonhos vão invadir a universidade e transformar a sociedade.