20 de ago de 2012

Métodos da Neurociência Cognitiva


     A maior parte das pesquisas neurocientíficas que ocorreram no passado foram realizadas em animais. Essas pesquisas tratavam-se, muitas vezes, da remoção de partes do córtex para visualizações dos possíveis problemas que sucederiam essas operações. Em outros casos, pesquisas ocorriam através de estímulos elétricos em determinadas regiões neurais. Esses estímulos possibilitavam a observação do potencial dos neurônios. Entretanto, a enorme diferença de cognição entre os animais e humanos é uma impossibilidade a esse tipo de experimentos. “Com a possível exceção de outros primatas como os chimpanzés, é difícil fazer com que outros animais se envolvam nos tipos de processos cognitivos nos quais os seres humanos se envolvem” (Anderson, 2004, p.15).
     O estudo de populações é uma das principais fontes para os estudos sobre o comportamento do cérebro humano. Pessoas que sofreram derrames causadores de problemas com a linguagem possibilitaram que pesquisas chegassem ao resultado de que o hemisfério cerebral esquerdo é responsável pelo processo da mesma.

     O método fMRI possibilitou alguns avanços sobre o conhecimento das atividades cerebrais. As ondas de rádio, devido aos sensores magnéticos, captam, pela intensidade do sinal magnético, os locais mais ativos. Indivíduos sujeitos a práticas sucedidas de resoluções de problemas complexos ajudaram nessas pesquisas sobre o funcionamento de cada seção do cérebro em determinados momentos. 

     O sistema sensorial é o responsável por todas as percepções dos indivíduos, tudo o que passa em seu organismo e é traduzido por pensamentos. “Nosso corpo está literalmente repleto de sensores para detectar visões, sons, odores e contatos físicos. Bilhões de neurônios processam informações sensoriais e repassam o que encontram aos centros superiores do cérebro” (Anderson, 2004, p. 21).
     Na perspectiva analítico-comportamental, os sentimentos, como a dor, são tratados apenas com base fisiológica, pois a dicotomia alma/corpo não é adotada.

Um comentário: