9 de jun de 2012

Percorrer ao Acaso

     A maciez da cama, o aroma dele impregnado no travesseiro, a baixa iluminação existente devido apenas ao abajur que clareava a secretária sobre a qual ele trabalhava causava nela uma sensação sonolenta de bem-estar, rara nos últimos tempos. Antes que o sono dominasse-a por completo, ela observou aquele homem dos cabelos loiros e compridos; dos olhos azuis bondosos tão estranhamente conhecidos colocar os seus óculos de aros redondos e iniciar a sua leitura tão compenetrado que escondia toda a felicidade que sentia por tê-la consigo, em seu quarto.
     A imagem dele causava espanto nela, como a sensação de estar vivo que sentia sempre minutos antes de adormecer, quando suas crises distanciavam-se a ponto de exteriorizar-se quase completamente. Ele representava uma vida inteira dentro dela - da qual ela não tinha certeza de quanto tempo poderia durar.
     Os minutos passavam-se e, por algum motivo, era bom sentir que aquele homem tão justo e sábio pertencia a ela. Sim, pertencia. Era estranho pensar na ideia de posse de outra pessoa como uma coisa natural e boa, todavia, naquele instante ela pensava e ficava contente. Ele pertencia a ela, mas ela não pertencia a ele. Isso a fazia sorrir. Ela não precisava permanecer, portanto permanecia. E assim seria até o próximo inverno, quem poderia adivinhar... então ela se entregou aos sonhos.

     Ele tirou os óculos de leitura para enxergá-la melhor dormindo e os caracóis que caíam por seus ombros nus. Queria saber quais eram os pensamentos que tomavam conta de sua mente, pouco tempo antes, que a deixaram com uma expressão tão serena. Ele a amava tanto que agradecia a Deus por ainda vê-la ao seu lado. A primavera trazia muita vida aos olhos dela e vontade de sair de seu casulo para sentir todas as coisas possíveis e terrenas. Ele sabia que assim seria até o próximo inverno. Enquanto isso, em cada estação, era bom pertencer a ela.

    E ela, sem saber, pertencia a ele também.

Um comentário:

  1. Que lindo :~ "Ele representava uma vida inteira dentro dela - da qual ela não tinha certeza de quanto tempo poderia durar." Parabéns! Estou seguindo :D

    http://where-you-can-always-find-me.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir