8 de mai de 2012

Porto de Repouso

Se não me segurar pela mão.
Se souber me esperar.
Se for paciente.
Se compreender todas as minhas partidas,
O meu curso infinito
Então, eu vou voltar.
O mundano sempre volta ao lar.

Afinal, todo mundo precisa de um porto de repouso quando cansa do mundo.
O problema é que
Ninguém é porto de repouso de ninguém
Ninguém funciona como ponto de apoio.
O mundano, quando volta ao lar,
Precisa aprender a ser porto de si mesmo.

2 comentários:

  1. mensagem bonita. mas ninguém consegue ser sozinho para vida toda

    ResponderExcluir
  2. Hum.
    Adorei o poema, eu também penso que devemos seguir nossos caminhos e tal.
    Só que não dá pra fazer isso pra sempre, chegará uma hora em que você irá querer estacionar em alguém e viver uma história mais concreta.
    Enfim, adorei o blog!

    ResponderExcluir