11 de fev de 2012

Leila

Ao Daniel Gonçalves

     A gente se olha no espelho, não se acha bonito, mas se sente bem. Com aquele casaco quente e protegido. E vê na janela que chove forte, com barulho, e tá tudo negro e assustador, mas a gente olha e acha agradável. E se sente sozinho, vazio, cheio só de angústia e vontade de lágrimas, e tá tudo bem assim, tudo muito intenso. No final a gente sabe que é belo o triste, e sendo belo é o que importa. E mergulhamos em dor. Contemplamos a beleza de tanta tristeza ouvindo Caetano, Gilberto, Chico, Vinicius, Nara, Elis, Leoni... e todo tipo de MPB suicidante... e é tudo muito bonito.
  Que importa que antes você me fazia bem? Que eu te amava, que você me amava, a gente se olhava e se entendia, e era bom e fácil. E você era alegre, e eu também. E a gente ria, e a gente chorava, estávamos sempre juntos. Existia a tal da sincronicidade que você tanto falava. Te ver feliz me deixava, assim, leve.
  Mas se tudo se afasta, se acaba - nos desapegamos, é obrigação. Te vejo longe e você nem me vê. E é assim, é tudo assim, é tudo um pouco triste. .E tá sendo mais difícil hoje porque faz tempo (não o suficiente), e tá chovendo, sabe como eu sou quando chove.
  Ouvindo a música "Leila" do Renato Russo dói mais porque, na verdade não sei por quê, ela me lembra você.
  Então é isso, você vai embora, eu vou depois da curva, e nos perdemos na bifurcação. Eu perco a sua alegria, sua inconstância, arrogância e ideais descabidos - tudo que te fazia único, e eu gostava tanto. Eu ganho qualquer outra coisa. E vai contente, como te quero. Te vejo ir e fico feliz, fica tranquilo. Tá sendo fácil, só não hoje, tá chovendo, sabe como é...

* (Mal) Escrito tal qual a fala.

2 comentários:

  1. tb gostei muito do que vc escreveu texto bem feito ja estou te seguindo me segue tb no meu blog http://cabelosescuros.blogspot.com/

    ResponderExcluir