11 de jan de 2012

Lei da Palmada

"Está no Código Civil: 'perderá por ato judicial o poder familiar o pai ou a mãe que castigar imoderadamente o filho'. Mas afinal, o que é castigo moderado?

'São dez chibatadas? É o cinto do lado do couro ou do lado da fivela?', questiona a deputada e relatora do projeto, Teresa Surita (PMDB-RR).

'Hoje o pai dá uma palmada e vê que deu certo. Amanhã ele não conversa mais com o filho, vai direto para a palmada', completa."

-

Apenas eu que não achei uma má ideia a Lei da Palmada?

Diferente do que muitos andam dizendo por aí, a lei não está proibindo que você eduque o seu filho como o desejar. O nome da lei é um erro, pois não é uma simples palmada que irá tirar os filhos de perto de seus pais, convenhamos. O que eles estão querendo evitar é que crianças cheguem nas escolas com manchas roxas e todos já estejam prevenidos pensando sobre o pobre pai ignorante: "ele está apenas 'educando o seu filho', da forma mais fácil, mas está."
No entanto, se você realmente deseja educar o seu filho com uma chibata, ou algo do gênero, pendurada na parede... bom, é melhor ficar apenas com um cachorro.


Claro que a intenção deles é boa. A lei é perfeitamente aceitável nos Estados Unidos, nos países orientais e na Europa. Mas no Brasil, enxerguemos o óbvio, não dará certo. É só olhar com atenção. A grande questão não é a interferência do estado nas famílias, nada disso, e sim o fato de que um país que não controla nem a violência nas ruas, que é o mínimo, não conseguirá controlar a violência cotidiana dentro das casas.

Mas a minha opinião é a seguinte: bater no filho educa? claro que sim! mas é o método mas fácil e ignorante de todos. Não é nada complexo, agrida ele fisicamente e ele temerá você até que cresça o suficiente para entender alguma coisa. Eu acho um tanto covarde. E diante de tantos outros métodos, acredito que se você conhece apenas o método da agressão física, deveria repensar antes de ter um filho. Ter uma criança requer uma boa capacidade mental e muitas meditações - para, principalmente, educar o filho com paciência recorrendo a métodos eficazes que não precisam, necessariamente, ser violentos. Mas pensar e ter desejo de aprender é uma coisa que o brasileiro não faz muito.

Enfim, a lei me pareceu boa. Aplicá-la neste país violento por natureza é que não será nada fácil.

Um comentário:

  1. Eu acho tão difícil dar opinião sobre essas coisas (educação por exemplo) pq a única coisa que sei é que cada pessoa é uma pessoa e reage de uma forma diferente aos "estímulos" que lhe são dados (positivos ou negativos) ... eu por exemplo apanhei muito, nada que devesse ter sido levado a polícia, mas as vezes de forma até meio exagerada, e acho que se minha educação tivesse sido APENAS na base da conversa eu não seria a pessoa "boa" que me considero hoje em dia. Mas sei que diferentes pessoas se tivessem tido a mesma educação que eu seriam bem diferentes.
    Concordo quando diz que: "No entanto, se você realmente deseja educar o seu filho com uma chibata, ou algo do gênero, pendurado na parede... bom, é melhor ficar apenas com um cachorro" (nem cachorros merecem pessoas com ideias de "educação" como essa, já que assim como crianças eles fazem estripulias de vez em quando), e concordo que existem outras maneiras de se educar, antes de ter um filho as pessoas deveriam tomar consciência disso; porém não sou contra "palmadas".
    Bom texto ^^ .

    ResponderExcluir