5 de jan de 2012

Consequências do Neoliberalismo


  Os produtos importados e o mercado externo passaram a ser incentivados pelo governo. No início tudo correu bem, a economia realmente cresceu. Todavia, o governo passou estimular ainda mais os investimentos externos, chegando à nossa tão conhecida privatização de empresas estatais. A partir disso, o Brasil caiu nas mãos do mercado externo, de multinacionais, de empresas privadas e de burocracias absurdas.
 
  O crescimento econômico atingiu o descontrole total, com a sua liberdade de mercado e preços. As dívidas aumentaram, junto com o índice de desemprego e a desigualdade social.

  Diferentemente do estado de bem-estar social, a política neoliberalista nunca produziu para a população, e sim para os próprios produtores. As necessidades sociais não têm a menor relevância, apenas os lucros são importantes no neoliberalismo, os lucros individuais e o crescimento constante de uma economia pertencente a uma minoria.
  
  A intervenção do estado é mínima, e quando é feita, é de forma precária, fazendo com que a maioria dos cidadãos de classe média seja atraída para as empresas privadas. A sua ingenuidade impede que eles acreditem em um governo de estado melhor, e a sua carência impulsiona-os a aceitar as condições impostas pelo neoliberalismo.

  No Brasil, como em outros países neoliberalistas, o estado já não tem qualquer soberania, esta foi perdida para o mercado, principalmente externo. Os governantes atuais governam para as elites, e apenas para as elites. Sem dar ênfase no fato de que estas fazem parte de uma porção mínima comparada a classe trabalhadora (a qual não recebe nenhuma vantagem com tal governo). Sem uma ditadura bruta e exposta, não haveria modo desse governo capitalista continuar assumindo o poder, a não ser enganando a maior parte da população, então o fazem.

Um comentário: