21 de out de 2011

Underneath the stars

  O som do mar era o que de mais belo existia para seus ouvidos - mais do que a própria música, mais do que o próprio mar, mais do que tudo - os som do mar falava-lhe o que somente ela poderia compreender. O som do mar remetia-a ao próprio John, jamais esquecido.
  Anna, sentada na rocha mais alta, fechou os olhos, inspirou profundamente a brisa marítima e pensou intensamente em John, quando ouviu os sussurros do mar.

  - Abra a sua janela, exponha toda a sua alma, estou aqui, não pode ver?
  - Abra a sua porta, levante os seus braços, estou aqui, não pode sentir?
  - Você já não entende o que eu digo, você já não me sente tão intensamente quanto antes.
  - Você precisa de mim o tempo todo e eu estou sempre com você... acontece que agora EU preciso de você.
  - Ouça os sussurros quando abrir a janela de sua alma. Ouça o que lhe digo. Não se perca de mim.
  - Veja o mundo girar através de sua janela aberta. Veja o quanto eu preciso de você agora. Por favor, não se perca de mim. Eu sinto você se afastando. Não me deixe agora.
  - Por favor, volte para mim.
  - Nossas almas sempre foram uma só, não pode ver?
  - Não me deixe aqui sozinho, desolado, abatido. 
  - Apenas me observe no mais fundo dos oceanos... Eu simplesmente preciso de você agora aqui, não pode entender?
  - Observe as ondas, elas nos levarão para um lugar melhor. Um lugar claro e só nosso. Todo nosso.
  - E a distância nunca teve importância. E o destino nunca existiu, no entanto é para acabarmos juntos no fim, está escrito. 
  - Eu assisti você ontem, o dia todo. Meu coração está quebrado, porém está aberto para você... por você.
  - Eu sofro com imensa mágoa ao ver que você chora. Não chore! Oh, eu preciso que se abra, abra sua mente e alma. 
  - Você nunca estará sozinha, eu não deixarei, eu não deixarei. As coisas acabam, mudam, morrem. Contudo o que sentimos jamais morrerá, será sempre eu e você, exatamente como somos. 
  - Observe o céu, observe as estrelas. Estamos em universos diferentes sob as mesmas estrelas.
  Então Anna ouviu seus amigos gritando seu nome. A conexão foi perdida. Pôde sentir sua face inchada e sussurrou ao mar, antes de partir: Eu jamais lhe deixarei.

2 comentários:

  1. "Oh, eu preciso que se abra, abra sua mente e alma."

    ResponderExcluir
  2. "Eu jamais lhe deixarei."

    Eis a promessa das promessas. E entre elas, a mais difícil de cumprir.

    ResponderExcluir