15 de out de 2011

Segura a onda, HG

  O cara mais poderoso do país andou querendo despertar o meu desejo por "ser alguém na vida", e eu jamais contestaria isto - pronto, tornou-se minha verdade absoluta: serei alguém na vida. Contudo a imagem que passaram prematuramente de uma pessoa considerada "alguém na vida" era tal: um homem muito rico, usando terno e gel no cabelo, ponto. Tornou-se para mim o símbolo de todo sentido de existir, ser alguém. Mas sempre ficava um borrão. Todas as grandes verdades devem ser retratadas como obras de arte de Da Vinci, Soar como Chopin ao piano. Essa soava com ruídos. Um dia eu tive um sobressalto: ela não quer dizer nada!
  Eu conheci muitos "alguéns na vida" que adoravam mostrar que eram "alguéns na vida" - no entanto, eles não eram nada. Nada. Nada. Nada. Besouros na parede eram mais do que eles.
  
   Eu encontrei um hippie que conhecia muito bem a si próprio, não tinha muito e tinha tudo, era plenamente feliz. Ele era o maior "alguém na vida" que existia.

   Ser alguém não tem nada a ver com dinheiro ou poder, tampouco com status. Ser alguém é ter uma alma e saber do real valor de sua existência. Ser alguém é conhecer a própria mente. E dentro de si encontrar a liberdade. "Conhece-te a ti mesmo" - já dizia Sócrates.

Um comentário:

  1. para ser alguém na vida não precisa ter muitos bens materiais, basta ser vocês mesmo e ter convicção do que quer ter ou ser na vida

    http://rocknrollpost.blogspot.com/

    ResponderExcluir