25 de out de 2011

La Neige Danse

(Talvez, com "Claude Debussy - The Snow is Dancing" tocando, faça algum sentido)
 

  - Clair... Clair... - Fréderic gritava enquanto corria atrás dela pelo campo de girassóis. - Clair - ele falava rindo, abraçou-a com amor e giraram e giraram até caírem tontos.
  - Não podes ficar agindo como um doido - ela o repreendia rindo mais do que ele - vê, amassaste todo o meu vestido.
  Então ele calou-a beijando-lhe os lábios. Então, deitaram-se um ao lado do outro, permanecendo com as mãos enlaçadas, observando o céu em meio aos girassóis. O vestido azul de Clair espalhava-se pelo intenso tom amarelado e o perfume de seu cabelo inundava os pensamentos de Fréderic
  - O que teu pai diria se nos visse? - Ele perguntou sem tirar os olhos do céu.
  - Nada agradável - ela respondeu apertando as mãos dele.
  - O que teu pai diria se eu pedisse a tua mão? - Fréderic levantou-se abruptamente, inclinando-se.
   Ela pasma não soube o que responder de imediato - abria e fechava a boca sem emitir som nenhum. Levantou-se e beijou-lhe a face, a fronte, os olhos e, por fim, os lábios.
  - Ei, acalme-se senhorita, este é o comportamento de uma dama? - Fréderic falou rindo, com uma expressão divertida e séria. - Foi apenas uma hipótese.
  Clair enrubesceu e lançou-lhe um olhar irritado que se desfez quando ele tirou um anel do bolso e pôs-se de joelhos.
  - Clair Fontaine, aceita te casar comigo?
  - Aceito, Fréderic Simon.
 
  Lágrimas escorreram pelos olhos de ambos. Eles não podiam conter-se, riam e choravam como crianças apaixonadas em um campo de girassóis.

2 comentários: