8 de out de 2011

Eu quis você

  Meus olhos fixaram-se em você, como quando cansados fixam-se em um ponto qualquer da parede e assim ficam por horas, meus olhos fixaram-se cansados em você. Os minutos passaram-se e eles continuaram imóveis em você. Por quê? Porque eu quis você. Por quê? Eu não sei. Eu quis você! Não demorou tanto quanto eu gostaria, você olhou, você viu meu olhar no seu, você viu e não quis ver e eu não consegui parar de olhar e você desviou, fugiu e do mesmo modo eu continuei, sem querer continuar. Você desviou e olhou e viu de novo e provavelmente se assustou e do mesmo modo eu continuei e continuei e continuei e tive medo que levasse uma vida para parar e não parei e pensei: eu quis você. E pensei no quanto eu o quis e que eu tinha de parar, todavia, não conseguia. Era um absurdo incontrolável lastimável lamentável um erro terrível - e eu quis você, eu quis você, eu quis você, antes de dormir, o mundo caiu, o céu ficou roxo, eu gritei, estava cega, surda, e com um gosto ruim de cigarro na boca, eu não fumo, e fumei e fumei e fumei e no final era a mesma coisa: eu queria você eu queria você eu queria você, com álcool, com gosto, eu queria queria queria queria. Então uma lágrima caiu, o som dela tocando o solo foi ensurdecedor, eu acordei e pude então desviar o olhar. Não, eu não quero - eu quis você.

Um comentário: