1 de ago de 2011

Quando o céu encontra o mar

Na sonolência da madrugada
Esperando a maré voltar
Observa-se o céu
Observa-se o mar

No infinito eles se casam
O céu encontra o mar
E já não se vê céu
E já não se vê mar
Escurece o mundo

Penetro levemente nesta escuridão
Quando na calada da noite o mar deixa-me nele sangrar
E sou, também, céu. E sou, também, mar.
Encontramo-nos em um só e no horizonte misturamos nossa solidão
Escurecendo-me o mundo

3 comentários:

  1. Excelente blog, gostei muito de tudo que encontrei por aqui. É raro eu gostar de blogs de poesia, já que sou tão profundamente (como seu céu e mar) da prosa. Mas ficarei por aqui de muito bom grado, parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Nossa :)
    Isso é um texto triste? me deixou em duvida. Gostei daqui! vou seguir, continue assim...
    Beeeijos :*
    http://cuidademim.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Adorei seu blog, adoro frases, pensamentos, poemas.

    Visite meu blog e se gostar me Segue tb.


    rosabarbie.blogspot.com

    Bjs (:

    ResponderExcluir