10 de abr de 2011

Tudo passará

   Havia finalmente chegado a sua carta com a notícia de sua aprovação  na universidade. A felicidade com que contava a novidade ao seu namorado era absoluta. Aquele sorriso tatuado em sua expressão fazia-a ainda mais bonita. Amy era uma menina linda. Ela passou por muitas coisas em sua vida, etapas fascinantes e complicadas e tudo foi, sempre, simples e doce; como ela era.

   Ninguém poderia entender aquela carta deixada no chão de seu pequeno quarto, com manchas de um sangue que encharcava seu corpo, vazando pelo buraco que havia no estômago e que se espalhava colorindo o cômodo de um escarlate podre e sujo, no entanto belo - como a morte escancarada aos olhos espantados e curiosos de almas que contemplavam, com mais curiosidade do que espanto, aquela cena que falava por si, deixando, então, nada claro. Contudo havia a carta que poderia tudo esclarecer . "Havia uma carta" - todos cochichavam enquanto voltavam para suas vidinhas pacatas e toscas, solicitando o direito a lê-la - direito merecido de almas fofoqueiras, cruéis e baixas.

   Entretanto, como todo mistério existe para ser revelado, o pai banhado nas próprias lágrimas abriria a carta; satisfazendo o desejo de toda uma quase-humanidade, e não o próprio que era não ter de abri-la.

  " "O fim é o princípio do início, é aquele que abre as portas ao novo". Lembro-me de ter ouvido isto ontem, mas estava tão bêbada que nem sei se ouvi, ao certo, ou imaginei, ou entendi errado. De qualquer forma, esse é o sentido que busquei. Essa foi a filosofia de todas as poesias e as minhas poesias tiveram o mesmo fim... Não, eu nunca quis isso; contudo queria retornar ao início, que me abrissem as portas de novo; ver se não erraria mais uma vez... Porque tudo estava errado e já não havia tempo para recomeçar. A vida foi amaldiçoada pela liberdade de escolhas que existem em uma lista curta, tornando o infinito limitado, e quando me diziam "você está no caminho certo!", eu simplesmente sabia que estava tudo errado..."

  O final da carta estava prejudicado por sangue e lágrimas - impossibilitando a leitura. No entanto, não era pelas últimas palavras que faltavam, era por causa daquelas que puderam ser lidas que nada daquilo poderia ser compreendido.

3 comentários:

  1. Ninguém sabe o que se passa com o outro.
    O porque das ações de cada um só pode ser respondido pelo agente... Ainda sim, quem compreenderá?!

    Bom texto!

    ;D

    ResponderExcluir
  2. Gostei do fundo do blog , tenta tirar do tile só aiuau

    Brigado pela visita no meu , espero que volte sempre
    http://masoqeisso.wordpress.com
    Melhor blog de humor,entre e saia do tédio

    ResponderExcluir
  3. Parabéns! Belíssimo texto! Belíssimo blog! Agora tornei-me um seguidor deste seu sitio. Aproveito também para convidar-te a visitar também o meu blog e tornar-te também uma seguidora. Meu blog chama-se "OLHOS DA MENTE" onde é dedicado somente à arte. O endereço é: http://historiadeuniaopi.blogspot.com/

    Um abraço e até mais!

    ResponderExcluir