9 de mar de 2011

Erros cruciais

Erros, acertos e desperdícios,
Fizeram de mim o que agora sou
Não me arrependo de nada,
Simplesmente não posso arrepender-me de nada.
Senão não seria o que hoje sou.

Sou hoje um produto
Das reações que teve meu passado.
Errei
E sei que poderia não ter errado,
Mas se errei
Foi por que o certo era errar.
Esqueci
De coisas cruciais,
Mas se esqueci
É por que não tinham tamanha importância.

Não, eu não me arrependo.
E se alguma vez me arrepender
Será por ter me arrependido.

5 comentários:

  1. Como sempre textos ótimos e reflexivos.
    Certamente muitas pessoas ao lê-lo vão se identificar.

    Antes se arrepender pelo que foi feito do que pelo que não foi feito por medo de errar ;]

    ResponderExcluir
  2. Ainda tentamos, sendo contumazes, negar a prerrogativa do arrependimento. Todavia, uma hora ou outra, no silêncio que nos pertence, em alguma horinha perdida do dia na qual ninguém nos observar, não hesitamos em fazê-lo. Acho que sabe disto.

    ResponderExcluir
  3. Seus textos sempre tão filosóficos, quando os leio fico sempre a meditar sobre algumas coisas ainda desconhecidas... às vezes é tão subjetivo.

    ResponderExcluir
  4. Muito legal seu blog e otimo, e muito criativo, se depois vocês quiser olhar o meu blog e dar a sua opnião eu ficarei muito grato: http://derlandreflexivo.blogspot.com/

    ResponderExcluir