5 de mar de 2011

Algo novo

  Olho pela janela, vejo a mesma vista pela trincentésima nonagésima quarta vez. Entediei-me com esta vista, cansei deste lugar. Permaneci mais do que deveria, logo eu, uma viciada em mudanças.
  Neste momento são três horas da manhã, três em ponto. Acho muito estranho olhar no relógio e ver o horário redondinho, assim. Tenho achado muita coisa estranha ultimamente. Os sorrisos diminuem e os olhos fecham-se, a cada hora que passa. E cada segundo ouvindo Caetano Veloso parece mágico. As coisas simples me alegram muito mais agora. Como se eu tivesse perdido o emprego, meus amigos, minha casa e na falta do que fazer eu contemplasse feliz uma violeta - algo ainda valeria a pena, veja bem. No entanto desta vez eu não sei o que pode ser bom, além de Caetano. Nem violetas, nem girassóis, nem papoulas, nem nada, de qualquer forma, tudo nesse lugar é igual e tudo me aborrece.
  Os mesmos livros de anos enchem-se de pó em minha estante. Cansei de ler sempre as mesmas linhas. E de olhar essa mesma vista, tudo se torna absurdamente insuportável. Passei toda minha vida indo de um lugar a outro e agora não sei mais aonde posso ir. Preciso de aromas novos, gente desconhecida e um céu colorido de forma inédita. Preciso de irregularidades e seres incomuns. Preciso tirar umas férias em algum manicômio, quem sabe. Preciso fazer algo que nunca fiz - de novo. Preciso recomeçar - mais uma vez.

2 comentários:

  1. É disso que nós precisamos, algo novo.
    Precisamos mudar um pouco nossa rotina, sair do trivial ... o problema é arrumar tempo pra isso ;]

    Ótimo texto!

    ResponderExcluir
  2. ás vezes um recomeço é a solução (Y)

    http://shelly-moveon.blogspot.com/

    ResponderExcluir