27 de fev de 2011

Tetris político

Tétricos aceitamos todo esse despejo político
Como se fosse um jogo, Tetris talvez,
Edificando de qualquer modo,
Todo modo que deveria ser minucioso.
No entanto minúcias não interessam,
Os interesses deles são triviais.
Como se suas trivialidades não fossem banais.
De banalidades é que vivemos,
Se é que ainda chamamos de vida,
Mas se não é vida, o que é?
Não, não é vida.
É um apreço político por resíduos
Despejado sobre nós.
É um governo que joga Tetris
E joga, ainda, de olhos fechados.

Um comentário:

  1. Pamela, seu esboço poético fluiu bem subjetivo para mim... Talvez seja minha falta de atenção, não sei, apenas sei que se ele está aqui é por que foi escrito de coração e coesa dos seus sentimentos expostos nele. Um critica uma briga, no final apenas, nós, escritores somos os desvendadores de nós mesmos.

    ResponderExcluir