24 de jan de 2011

Nostalgia

   Caminhávamos pelo centro da cidade, indo para casa depois de um encontro com a turma da faculdade, de repente John colocou seus braços sobre mim, abraçando-me.
   - Olha quem vem ali. - Ele disse - O Renato, seu ex-cafajeste.
   Eu sorri e o beijei na face, John sempre se preocupando comigo, até em coisas triviais.
   - Venha, sente-se aqui. - Então ele sentou-se no meio-fio da calçada e convidou-me para sentar também.
   - Nesta esquina movimentada? - Eu ri e me assustei, difícil me acostumar com os ataques de loucura que ele tinha, mesmo sendo muito parecidos com os meus.
  - Senta logo. - Ele falou me puxando.
  E foi ali, naquele meio-fio que recebi a mais linda declaração de toda minha vida.
  - Olha que noite bonita, tem estrelas, luar e gente passando apressada pela gente, quase pisando em nossas cabeças. - Ele se divertia.
   - Realmente é uma noite linda. - Concordei - E você está bêbado.
   - Claro, saí com você. - Seu sarcasmo estava sempre presente.
   - Tinha me esquecido desse detalhe. - Olhei séria para ele - Sou sua má influência.
   - Sabe, minha garota, eu realmente gosto de você. - Ele disse mudando o tom extrovertido para algo mais sério - E se algum dia eu enlouquecer e inventar de casar, burrice eu sei, que seja contigo.
   - Está me pedindo em casamento, é isso? - Dessa vez era eu que me divertia - Sempre soube que me amava mais do que representava.
   - Sim, eu te amo e é isso que quero te dizer. - Me olhava, nesse momento, profundamente - Sabe, você é a única garota que me faz sorrir, a única que me faz ficar bem e mal, também. A única das únicas. - Sorriu, quebrando o clima tenso - Quando éramos crianças...
   - John e suas nostalgias. - Interrompi.
   - Sério, deixe-me falar, quando éramos crianças juramos que não nos separaríamos e passaram-se anos e cumprimos o juramento, entretanto, de qualquer forma, quero renovar o contrato. - Ao dizer isso, olhou-me com um inédito sorriso sério, primeira expressão de John que não conhecia - Juro que estarei sempre aqui por ti e por ti e só. É a minha melhor amiga, é a mulher de minha vida.
   - Eu também gosto de ti, mesmo bêbado!
   -Eu sei que eu também represento pra ti o que representa pra mim! - Disse voltando ao seu estado divertido de sempre - E é por isso que nunca te deixarei em paz. - Completou acendendo um cigarro.

   E hoje, seis anos depois, no dia do casamento de John, eu estou aqui apenas com a promessa de aparecer, porém bem longe dele.
   Não foi isso que juramos. Eu sempre soube que um dia me separaria dele, um dia ele encontraria uma mulher que fosse mais importante que sua melhor amiga. O dia chegou e estou aqui agora... sentada nesta calçada, com as estrelas, o luar, um cigarro e essa gente passando apressada, quase pisando em minha cabeça.

2 comentários:

  1. Olá... Passando pra desejar uma ótima semana. E dar os parabéns pelo Blog. Muito bom!

    Um grande abraço,

    Joéliton Santos.

    ResponderExcluir
  2. É minha cara, só damos vamos valor quando perdemos, aí a saudade bate e o que podemos fazer? rsrs

    Ótima semana pra vc

    bjs

    ResponderExcluir