18 de jan de 2011

Algo a ser sonhado e ser (talvez) vivido

 Ser, ser, ser, ser... sendo há tanto para ser.
 Ser alguém, ser ninguém, ser de uma vida e sonho.
 Viver para sonhar e sonhar para viver.
 Quando se é alguém existem tantas possibilidades
 Algo como ser acompanhante sozinho.
 Um eterno solitário vivendo pelos mares,
 Um eterno amante sonhando pelos mares.

Sonhar, sonhar, sonhar, sonhar... sonhando há tanto para sonhar.
Ilusões, devaneios, idealizações de uma vida e sonho.
Sonhar para viver e viver para sonhar.
Em meio aos devaneios vê-se tantas casualidades
Algo como muitas confirmações
De todos os sonhos dissolverem,
De todos os sonhos concretizarem.

Algo que sou.
Algo que sonho.
Algo que vivo.

3 comentários:

  1. Lindo poema. Viver é não ter certeza, não é necessariamente arriscar-se, é tentar e errar, e com tais erros aprender. Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Sempre somos ou buscamos ser os nossos melhores sonhos.

    Grande Abraço.

    Bons Ventos!!

    ResponderExcluir
  3. Sonhar é algo natural e encantador =), desde que não saia da realidade.

    Belo poema

    bjs

    ResponderExcluir