16 de dez de 2010

Querido diário

   E o ego, já quase inexistente, desce mais um pouco. 
   
   É inadmissível que as críticas vindas de uma pessoa que funestamente olhou e não gostou, sem nem saber seu gosto, causem impactos maiores do que os elogios feitos pelas pessoas que sentem até sua alma. É inacreditável, porém acontece.
   
   Julgamento é algo do qual eu tenho convivido durante os últimos dias de toda a minha vida. 
   Contradição: Julga-se, erra-se, julga-se.

   Quando me refiro a julgamento, refiro-me como um sinônimo de rotulagem. Pode, porém não é necessariamente um sinônimo de uma crítica bem opinada; que seria o lado caridoso do julgamento. Pois críticas opinativas são necessárias e todos dispõem delas; sem nos esquecermos que esse tipo de "boa" crítica só é bem aplicado depois de analisar minuciosamente o criticado. Contudo, referindo-me ao ato de julgar, uso-o como um sinônimo de uma crítica de rótulo, ou algo muito próximo ao preconceito; que seria julgar uma pessoa pelo que ela fez ou é, sem tentar compreender a circunstância; ou, ainda, criar  uma concepção sobre alguém do qual nunca tenha tratado, apenas com a informação visual.
   Não se deve confundir o pré-julgamento, ou, mesmo, o julgamento de um feito exposto pela condição, com a crítica inteirada.
  
   É muito mais fácil apontar defeitos, criticar e ignorar as qualidades (principalmente quando se é inseguro). Contudo, conhecer, admirar (sempre há o que admirar), ver no outro algo bom que desfoque o que lhe desagrada é, afirmo, bem mais satisfatório.
     Erro: se conhece a imperfeição - julga.

   Era fast-food: Tudo instantâneo. Olha-se, analisa-se precariamente, voilá, está pronto para rotulagem: "É fútil, é ignorante, é hipócrita, etc."
   Hipocrisia: possui deformidades, sem enxergar o próprio reflexo - julga.
   
   Não se dirige a palavra; não se olha nos olhos: julga-se
   Julgam, rebaixam, agridem.
   Não conhecem teus sonhos; não escutam tuas músicas; não compartilham teus livros (ou conhecem, escutam e compartilham sem ter a percepção). Entretanto sabem perfeitamente de tuas limitações, ainda assim, se tornando incompreensivos.
   Incompreensão: julgamento.

   Posso assegurar que mesmo sendo difícil, não é impossível não julgar e eliminar qualquer pré-conceito da mente; basta tentar compreender e aceitar, sempre, as pessoas como são. A compreensão é a chave da união. É o fim da hipocrisia.

3 comentários:

  1. hoje em dia tudo que fazermos é julgado.. foda ;/

    ResponderExcluir
  2. eu não dou colete, então vim comentqar rs
    adorei o texto..
    passa no meu ?

    http://absintoamor.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Concordo. Enxergar e apontar defeitos nos outros faz a pessoa se sentir superior, diminui a própria insegurança. Mas ao mesmo tempo que isso acontece, vão ter outras pessoas julgando a primeira, novamente aumentando sua insegurança. É meio que um ciclo vicioso... e, como você disse, o jeito de acabar com ele é através da aceitação e compreensão de aparências e opiniões diferentes da própria :)

    ResponderExcluir