20 de dez de 2010

Linhas sagradas

   As palavras me consomem e eu devoro-as. Então crio um universo repleto de caos, pois me sinto bem em meio a uma desordem inventada. Estas palavras possuem um poder inacreditável, tão delas e tão meu. E todas as coisas reais que me agridem perdem seus sentidos pelas minhas linhas.
   Todas linhas que traço durante o dia fazem-me querer construir outras quando chego ao fim. Linhas sobre linhas. Linhas reais e linhas inventadas. Linhas cruentas e linhas invisíveis. Linhas por motivos sem algum sentido. Linhas que não se acabam.
   Estas linhas traçam-me tempestades afáveis, sonhos dissertados, vidas escarlates, sangramentos que não cessam, zero sobre zero, contraditoriedade convicta, segurança na escuridão... Todo irreal que sei que existe em algum lugar aqui dentro.
   As linhas levam-me ao sagrado que procuro.

Um comentário:

  1. Tive uma leve imprenssão que esse texto foi escrito por mim,
    é exatamente como eu me sinto!
    "Então crio um universo repleto de caos, pois me sinto bem em meio a uma desordem inventada."
    As palavras são tudo para nós, que muitas vezes não conseguimos expressar todos os nossos sentimentos. :)

    ResponderExcluir