10 de dez de 2010

Coração condenado

  Você perder-se do amor, é uma sensação pior do que ver seu amor perder-se de você. É como se o fim fosse sua culpa. E vê-lo implorar para que esse não seja o fim, vê-lo fazer isso com os olhos, é algo torturante. Neste momento quem pede é você; pede a ele uma chance; chance de seguir em frente sozinha.
     O problema é que isso acontece continuamente com você. Então, concluiu que o amor e a sua vida não andam na mesma linha. Você não consegue criar vínculos com alguém. Você ama-o furiosamente hoje e sabe que amanhã poderá ser diferente; tem medo por isso, tem medo por ele. O fato de ter a certeza de que um dia irá acordar e ver que simplesmente já não sente nada a impede de se entregar totalmente a alguém, pois sabe muito bem quem vai sair ferido no final e não será você.
   É esse coração indomável, que se rebela fora de época, que faz de você um condenado. O amor não poderia ser como é para todo mundo, algo duradouro? Por que para você ele se torna fatalmente algo temporário?
   Não é que queira ser assim, eu sei, é a sua condição. O amor é o seu carma; ama ardentemente; ama sabendo do tempo esgotável de sua chama; ama esperando pelo fim. E quando chega ao fim, vê-se trancada em um quarto acompanhada por bebidas e lembranças, tentando sentir alguma coisa, apenas, para perceber que já não sente absolutamente nada.
   É estranho não sentir nada, tão estranho que dói. E até faz uma força para sentir, eu sei, entretanto, de nada adianta qualquer força quando o coração torna-se vazio.
   Eu sei o quão infeliz é essa vida de desamores, acredite, eu sei.

4 comentários:

  1. "Eu sei o quão infeliz é essa vida de desamores, acredite, eu sei." é a pura verdade
    parabens pelo blog
    abraçs.

    ResponderExcluir
  2. O importante é aproveitar quando há amor... não importa com quem.

    ResponderExcluir
  3. O ultimo trecho realmente é o melhor.. xD

    ResponderExcluir
  4. "[...]ama sabendo do tempo esgotável de sua chama; ama esperando pelo fim[...]"

    Ama ciente, ama sabendo que o tempo não concretiza nada e toda baboseira que disseram acerca disso é a maior ilusão do mundo, o tempo é um fator de dissolução, ele revoga a tudo o que um ser apenas construiu para ensiná-lo que a vida mente ao fingir se adaptar a nós e a adaptação nada mais é que a própria mentira, o amor é uma verdade, sim, mas gira violento no decorrer do tempo, indo e voltando, morrendo e renascendo das cinzas rasas com a vermelhidão do fogo de uma fênix.

    ResponderExcluir