10 de nov de 2010

Ensaio da normalidade

   O mundo é repleto de pessoas normais. Eis a consternação.
   É normal trabalhar para conseguir dinheiro e descontente, trabalhar ainda mais para conseguir ainda mais dinheiro e ainda descontente, trabalhar mais que viver para conseguir mais dinheiro que vida. É normal ver mulheres sonhando em se casar com homens lindos e ricos, pois tendo apenas esses dois requisitos, certamente terão encontrado "o amor" de suas vidas. É normal gastar dinheiro, sem pensar, com o sapato da marca da moda que muda toda semana, e não pensar no dinheiro negado à criança que o pediu para comer, pois já não comia a uma semana. É normal demais seguir a tendência e deixar de lado a sua verdadeira preferência. É absurdamente normal maltratar os animais e se esquecer que eles possuem uma alma mais pura que a nossa. É tão normal reclamar dos políticos, não entender nada de política e reclamar mais um pouco da situação, então resolver continuar a não fazer nada e ir olhar algum reality show. É muito normal julgar as pessoas por algo que elas fizeram, fazem ou um dia irão fazer, enfim, é normal julgar. É a coisa mais normal do mundo colocar as pessoas em uma linha invisível e compará-las como se fossem iguais. E agredir, ofender e difamar para descarregar sua raiva, é algo absolutamente normal.
  Todos querem, obviamente, encontrar o caminho mais curto para a felicidade, porém, o que seria essa felicidade? Os normais responderiam - Riqueza e fama, e sinceramente eu não concordo. A felicidade para mim está nas pessoas, nos instantes e principalmente nos sentimentos; nos amores.  "Menos é mais". Então, a pessoa mais normal do mundo chegaria a seguinte conclusão e me diria: - Garota, você não é normal. E eu daria o melhor sorriso que tenho e responderia: - E faço o impossível para não ser.

2 comentários:

  1. Eai pamela, quanto tempo eu não vinha aqui eim.
    Muita coisa mudou aqui!

    Sobre o post, Tem uma musica do Charlie Brown que diz assim:

    "Dei um trocado pra um pivete no farol
    Olhei pro lado estava o pai, pensei
    ?velho filho da puta , explorador!?
    Mas vai saber...sei lá...cada um tem sua historia
    Eu estou aqui pra aprender , não pra julgar"

    A gente vive em um sociedade em que as pessoas inverteram totalmente o valor das coisas, o material ta valendo mais do que o emocional, e isso nunca deveria acontecer.

    Beijooos

    ResponderExcluir
  2. Tratar de normalidade é perigoso, as convenções sociais estão por aí sorrindo na face da inanição país afora.Ser padronizado sugere normalidade, o que a sociedade não fiscaliza, não altera e não permite quem ouse tentar, pois, é dessa obrigação de seguir essa receita de bolo que surge os múltiplos preconceitos.Compreendo sua mensagem e compartilho dela.
    P.s.: Tive uma semana complicada, não tive tempo para muita coisa, não abandonei o blog. rs

    ResponderExcluir